O que Fazer (e não fazer) para Ter um Bom Pós-Operatório | Odontobase
Odontobase - Planos de Saúde Bucal 2ª via de boleto 2ª via de boleto
CENTRAL DE ATENDIMENTO
(13) 3040-7400
Obase Dicas
Outras Dicas:

Adicionar aos Favoritos Recomendar Imprmir esta página
 

O que Fazer (e não fazer) para Ter um Bom Pós-Operatório

– Morder uma gaze: é comum os dentistas encerrarem a cirurgia pedindo ao paciente morder forte uma gaze enrolada como uma trouxinha e instruir a morder outra caso haja muito sangramento, já que a compressão no local faz com que pare de sangrar. Contudo, trocar várias vezes esta trouxinha causa o contrário, já que a gaze remove o coágulo formado no lugar, isto é, como a boca é um ambiente úmido não forma a “casquinha” na ferida e sim aquele “sangue pisado”. Se tirar, sangra de novo.

– Alimentos frios ou mornos: cirurgia pede uma sopinha e colo, delícia né? O colo até pode ser, mas sopa morna ou fria é péssima. Porém, quanto mais quente o alimento, maior a chance de sangrar a região. Prefira o frio de um picolé ou sorvete que isso ajuda a amenizar a dor e também parar o sangramento pós-cirúrgico.

– Alimentos macios: mastigar coisas duras como um churrasquinho aumenta o esforço mastigatório na região ferida, provoca sangramento e inchaço, principalmente nas bochechas. Além disso, alimentos consistentes também podem tirar o coágulo.

– Bochechos: nas primeiras 24horas é bom evitar (lembra do tal coágulo? pois é). Ao invés de colocar a água na boca e agitar depois de escovar os dentes, é melhor colocar a água e balançar a cabeça de um lado para o outro e não cuspir, apenas abra a boca em direção ao ralo e deixe a água escorrer na pia. Não pode cuspir neste momento, o esforço para isso faz sangrar mais.

– Inchaço: completamente normal e esperado, principalmente se o dente ou o osso precisou ser cortado durante a cirurgia. Quanto mais manipulação de tecido, maior o inchaço. Choques térmicos ajudam a diminuí-lo: 15 minutos com bolsa gelada (enrolada em uma toalha) – 20 minutos de pausa – 15 minutos com bolsa quente (também enrolada na toalha para não queimar o rosto). Repita o processo algumas vezes.

– Medicação: isso é com seu dentista; só ele conhece você de forma a prescrever remédios adequados ao problema. Algumas vezes só um analgésico (aquele que tomamos para dor de cabeça) resolve, outros antibióticos e anti inflamatórios são necessários. Um adendo: nunca tome aspirina nestes casos, pois este princípio afina o sangue e aí fica fácil ter pequenas hemorragias no local da cirurgia.

– Travesseiro alto: É recomendado dormir com um travesseiro um pouco mais alto a fim de evitar sangramentos. Se ao acordar a almofada estiver babadinha com sangue, sem desespero! é normal.

– Sol e esforço físico: lembra que o colo é bom? pois bem, abuse dele dentro de casa. Nada de carregar coisas pesadas, ou sair limpando a casa no melhor estilo amélia; repouso é sempre bom para qualquer recuperação e longe do sol para não sangrar .

– Cutucar: nem pensar! dedinho sujo contamina o local e infecciona tudo e tira o coágulo do lugar também.

– Higienização: preciso falar que TEM que escovar os dente e a região cirúrgica? Tá bom, ressalto que precisa higienizar, passando a escova bem devagar no local; deixar acumular sujeira vai infeccionar tudo e vai doer. Muito. Ah! encontrar floquinhos de arroz e cia dentro do buraquinho é nojento, por favor, poupe os colegas dentistas disso

– Cicatrização: demora em torno de 30 a 60 dias até que se complete, mas depois de uma semana o ‘buraquinho’ já está protegido por uma espécie de gengiva. Assim, não se assuste que vai ficar aquele espaço por um tempo na boca.

Fonte - vidadedentista.com.br/

Notícias
 

Odontobase Planos de Saúde Bucal
Rua Alexandre Herculano, n° 197 – Sala 2001 – Gonzaga/Santos/CEP 11050-031 - (13) 3040-7400

ANS

Produzido por DELT